08:42 Web Radio Pinare - Técnicos da UFPR fazem vistoria em áreas atingidas por tremor de terra no Paraná

Segunda-feira, 23 de Outubro de 2017

(42)9993-1510

Tempo Agora
No Ar
SUPER SEQUENCIA
Enquete
Qual o período você mais a Rádio?

 Madrugada?
 Manhã?
 Tarde?
 Noite?

Publicidade Lateral
Top Música
1
Ele Não Merece A Gente  - Naiara Azevedopart. Paula Mattos
Ele Não Merece A Gente
Naiara Azevedopart. Paula Mattos
2
Acordando o Prédio  - Luan Santana
Acordando o Prédio
Luan Santana
3
VIDINHA DE BALADA - Henrique e Juliano
VIDINHA DE BALADA
Henrique e Juliano
4
Amante Não Tem Lar - Marília Mendonça
Amante Não Tem Lar
Marília Mendonça
5
Te Assumi Pro Brasil - Matheus & Kauan
Te Assumi Pro Brasil
Matheus & Kauan
Estatísticas
Visitas: 314063 Usuários Online: 71


Paraná

Publicada em 19/09/17 as 01:00h - 5 visualizações
Técnicos da UFPR fazem vistoria em áreas atingidas por tremor de terra no Paraná
Grupo identificou danos em imóveis. Ninguém ficou ferido.

Web Radio Pinare


 (Foto: Web Radio Pinare)

Tecnicos da Universidade Federal do Paraná (UFPR) realizaram uma vistoria em uma série de imóveis, nas áreas mais atingidas por um tremor de terra que aconteceu na madrugada desta segunda-feira (18), na Região Metropolitana de Curitiba. Em algumas casas, eles encontraram rachaduras, que podem ter sido provocadas pelo fenômeno natural.

"Foi um sismo diferenciado, em relação àqueles que nós temos normalmente no estado, porque ele gerou mudanças perceptíveis na superfície. Por exemplo: as pessoas que estavam dormindo, acordaram; algumas casas tiveram paredes rachadas, pisos rachados. Nós estamos ainda terminando esse levantamento, mas ele deve ter alcançado uma escala de 5 a 6, na escala de Mercalli, que mede esses eventos na superfície", diz o geólogo Renato de Lima.

A escala citada pelo geólogo vai até 12 e mede os principais efeitos que as pessoas percebem durante o tremor. No grau mais alto, é possível perceber mudanças de grandes massas rochosas e mudanças na topografia do local que foi atingido pelo evento.

De acordo com a Rede Sismográfica Brasileira (RSBR), o abalo atingiu 3,5 pontos na escala Richter, que determina a intensidade de um tremor de terra. Essa escala vai de 1 até 9. Para o professor de Sismologia da Universidade de São Paulo, Marcelo Bianchi, o evento no Paraná pode ser considerado médio. "Foi um tremor médio no caso brasileiro. Em geral, a gente detecta esses tremores uma vez por mês, mas nem sempre acabam sendo sentidos pela população", afirma.

Os técnicos da UFPR também foram ao local em que foi detectado o epicentro do tremor, em Rio Branco do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba. O objetivo foi estudar a topografia do local, para tentar determinar as causas do fenômeno.

Além de Rio Branco do Sul, moradores de Itaperuçu, Almirante Tamandaré, Colombo e Curitiba também relataram ter percebido a terra tremer. Outro tremor foi registrado também em São Jerônimo da Serra, no norte do Paraná. No entanto, o fenômeno foi apenas um reflexo do tremor que atingiu a Região Metropolitana de Curitiba.

Apesar dos registros, nenhum atendimento foi registrado entre a noite de domingo (17) e a madrugada desta segunda-feira, de acordo com o Corpo de Bombeiros.

A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil também informou que não houve chamados para atender ocorrências, apenas pessoas ligando por curiosidade, para saber o que aconteceu.




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Parceiros
RÁDIOS BR

Baixe nosso Aplicativo WEB RÁDIO PINARÉ
Copyright (c) 2017 - Web Radio Pinare - Todos os direitos reservados