Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

(42)9993-1510

Tempo Agora
No Ar
JORNAL VIROU NOTICIA
Enquete
NESSE UM ANO DE WEB RADIO PINARÉ QUE NOTA VOCÊ DAR PRA NOSSA RADIO?

 1
 3
 5
 8
 10

Publicidade Lateral
Top Música
1
Ele Não Merece A Gente  - Naiara Azevedopart. Paula Mattos
Ele Não Merece A Gente
Naiara Azevedopart. Paula Mattos
2
Acordando o Prédio  - Luan Santana
Acordando o Prédio
Luan Santana
3
VIDINHA DE BALADA - Henrique e Juliano
VIDINHA DE BALADA
Henrique e Juliano
4
Amante Não Tem Lar - Marília Mendonça
Amante Não Tem Lar
Marília Mendonça
5
Te Assumi Pro Brasil - Matheus & Kauan
Te Assumi Pro Brasil
Matheus & Kauan
Estatísticas
Visitas: 345801 Usuários Online: 46


Brasil

Publicada em 16/05/17 as 19:04h - 68 visualizações
Justiça aceita denúncia contra Sérgio Cabral por irregularidades na Saúde do Rio
Decisão é do juiz Marcelo Bretas e inclui o ex-secretário Sérgio Côrtes e mais cinco acusados. Ex-governador agora é réu pela oitava vez na Operação Lava Jato.

Web Radio Pinare


Decisão é do juiz Marcelo Bretas e inclui o ex-secretário Sérgio Côrtes e mais cinco acusados. Ex-governador agora é réu pela oitava vez na Operação Lava Jato.  (Foto: Web Radio Pinare)

juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, aceitou nesta terça-feira (16) a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-governador Sérgio Cabral, que agora é réu pela oitava vez nas investigações da Operação Lava Jato. Além dele, tornam-se réus o ex-secretário de Saúde Sérgio Côrtes e outros cincos acusados.

De acordo com a denúncia oferecida pelo Ministério Público, Côrtes foi escolhido pelo ex-governador com o objetivo de dar prosseguimento ao esquema de propinas na área da saúde que existia no Instituto Nacional de Traumato-Ortopedia (Into).

"A propina foi instituída desde que Sérgio Cabral entrou no governo, em 2007, e Sérgio Côrtes foi nomeado para transferir o esquema do Into para o sistema de saúde", destacou o procurador regional da República, José Augusto Vagos, na denúncia.

Em nota, a assessoria de imprensa do ex-governador informou que não teve acesso à nova denúncia. "Iremos nos manifestar nos próprios autos do processo".

Além de Cabral e Côrtes, são acusados César Romero, Carlos Miranda, Carlos Bezerra, Miguel Iskin e Gustavo Estellita. Eles vão responder por corrupção passiva e ativa e organização criminosa por irregularidades cometidas na Secretaria Estadual de Saúde, entre 2007 e 2014.

Segundo a denúncia, a Operação Fatura Exposta identificou que a organização criminosa liderada por Cabral, cobrava 5% sobre todos os contratos firmados pelo Estado, também atuava na área da saúde.

As investigações indicam que Miranda e Bezerra eram os encarregados de distribuir a propina paga pelos empresários, em um total de mais de R$ 16,2 milhões, conforme demostram anotações feitas pela própria organização criminosa.

O juiz Bretas deu dez dias para que os acusados apresentem respostas à acusação. O magistrado também definiu que Cesar Romero Vianna Júnior deve ser ouvido antes dos outros réus por ter fechado acordo de delação premiada.

"Verifico, ainda, estarem minimamente delineadas a autoria e a materialidade dos crimes que, em tese, teriam sido cometidos pelos acusados, o que se afere do teor da documentação, razão pela qual considero haver justa causa para o prosseguimento da ação penal", explicou o magistrado em sua decisão de aceitar a denúncia do MPF.




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Parceiros
RÁDIOS BR

Baixe nosso Aplicativo WEB RÁDIO PINARÉ
Copyright (c) 2017 - Web Radio Pinare - Todos os direitos reservados